segunda-feira, 1 de março de 2021

 Mais uma Biblioteca a nascer...

no Centro Escolar da Guia

A construção do Centro Escolar da Guia decorre a bom ritmo e para setembro espera-se a sua abertura. A Guia ficará, assim, com um Campus Educativo: salas de aula, campos de jogos, recreios, e... duas bibliotecas! A juntar à biblioteca da Escola EBS o CEG terá, igualmente, a sua biblioteca para servir os utilizadores mais novinhos! E novo será o equipamento, o mobiliário e uma grande parte do fundo documental. Que bom!
Depois a RBE, certamente, dará mais um apoio! Os nossos utilizadores bem merecem!

quarta-feira, 24 de fevereiro de 2021

 Histórias com Bichos...

Os lobos que vieram para jantar

Cá está mais uma história para os nossos utilizadores mais pequeninos...

Os lobos serão maus? O do Capuchinho Vermelho era, olá se era... mas o desta história não! Querem ouvir?

sexta-feira, 19 de fevereiro de 2021

 Ufa, cumpriu-se mais uma etapa do Concurso Nacional de Leitura! 

Que dia cheio e em cheio!

Decorreu na quinta-feira, dia 18 de fevereiro, a Fase Municipal do CNL, organizada pela Biblioteca Municipal de Pombal em moldes totalmente inovadores: inteiramente digital. Foram 52 os selecionados nos três Agrupamentos de Escolas do concelho de Pombal. O nosso Agrupamento participou com 16 alunos do 1º ao 3º ciclo e foram selecionados para a fase seguinte 5 alunos.

Questionário sob a forma de Quizizz (realizado a 17/02), uma prova de leitura expressiva e outra de “Conta-me como foi” (resumo e argumentação) foram os obstáculos que os nossos alunos tiveram de ultrapassar para chegar à fase seguinte: a intermunicipal de Leiria (certamente também em formato digital, em abril). As provas decorreram em salas virtuais: todos juntos na sala de acolhimento onde, divertidamente, as técnicas do Serviço Educativo iam conversando, jogando, contando histórias… “pulavam” para as salas onde se iam realizando as outras provas e, depois, aí permaneciam para ouvir a prestação dos colegas. 

Um dia intenso (das 09:45 às 18:00) inesquecível para todos.

Todos os participantes, sem exceção, tiveram um bom desempenho e, por isso, aqui vai o agradecimento a todos eles: Bianca Faria, David Morgado, Duarte Fragoso; Francisca Carvalheiro, Joana Pinto, Mateus Carreira, Leonor Fernandes, Fabiana Silva, Inês Rodrigues; Joana Andrade e Emanuel Pinhal. 

Mas, claro, que nisto de concurso há sempre a vertente de competição. E os que mais se salientaram foram:

1º ciclo: Leandro Silva (EB de Ilha) – 2º lugar; Diogo Ferreira (EB de Ilha) – 3º lugar;

2º ciclo: Daniel Rodrigues (EBS de Guia) – 1º lugar;

3º ciclo: Gonçalo Fernandes (EBS de Guia) – 1º lugar: Nícolas Gomes (EBS de Guia) – 2º lugar

 Um  bem-haja aos professores que os acompanharam na preparação das obras a concurso. 

A leitura torna-nos mais ricos, e esta experiência foi uma “viagem” que não esquecerão! Falem com eles!

 Eles que vos contem!



domingo, 14 de fevereiro de 2021

A Cantarinha dos Namorados

(uma tradição portuguesa do Norte de Portugal)

As tradições ligadas ao namoro são muito fortes no nosso património cultural. No norte do País são célebres os Lenços de Namorados, os Corações de Viana; este ano falamos de uma outra tradição: a Cantarinha das Prendas.

A Cantarinha das Prendas ou Cantarinha dos Namorados, como é popularmente conhecida, foi recriada no século XIX. Estas peças feitas em barro vermelho, polvilhado de mica branca e decoradas com motivos arcaicos têm origem nas olarias de Guimarães. 

A Cantarinha era utilizada como símbolo de aceitação ou recusa de um pedido de namoro/noivado. Quando um rapaz se decidia em ir pedir a mão de uma rapariga à família dela, oferecia à moça a Cantarinha das Prendas. Se a Cantarinha era aceite estava dado o consentimento para o namoro. Após terem chegado a um acordo quanto ao dote, a Cantarinha passava a servir para guardar as prendas que o noivo e os pais da noiva ofereciam: cordões de ouro, trancelins, cruzes, corações, relicários e outros objetos em ouro.

 O objeto constituído, no fundo, por duas cantarinhas tem associado um outro simbolismo: a "Cantarinha Maior", significa a abundância do futuro casal e a "Cantarinha Menor", sem motivos decorativos, significa o quotidiano, a incerteza do dia que virá. 






Atualmente recupera-se esta tradição e as cantarinhas podem assumir um design diferente, mas mantendo o formato inicial (variando em material e decoração) e, claro… sem o simbolismo de outrora!





Uma atividade a propósito destas cantarinhas fica… para o ano, quando estivermos todos juntos, fisicamente.

Fonte: https://tradicoesdeportugal.blogspot.com/2019/05/a-cantarinha-dos-namorados.html

(pesquisa de Mª João Saltão)


sábado, 13 de fevereiro de 2021

LENDA DE SÃO VALENTIM - Dia dos Namorados

Evocando o Dia de S. Valentim ou o Dia dos Namorados!
A Lenda de S. Valentim: "roubada" a uns colegas

13 de fevereiro

As primeiras experiências de radiodifusão, feitas por Marconi em 1894, abriram caminho para as emissões Rádio dos nossos dias. O Dia Mundial da Rádio (declarado em 2011 pela UNESCO) celebra-se anualmente a 13 de fevereiro. Foi escolhido este dia pois foi a 13 de fevereiro de 1946 que a United Nations Radio emitiu, pela primeira vez, um programa em simultâneo para um grupo de seis países. Os Anos Vinte (do século XX) ficaram conhecidos pelos Anos da Rádio pois divulgou-se este meio de comunicação que se tornou um importante veículo da dita Cultura de massas.  

Em Portugal as experiências com este novo meio também começaram nessa época. Em 1923 foi criada a Sociedade Portuguesa de Amadores de Telefonia sem Fio, antepassada das rádios de hoje. Em 1935 nasceu a Emissora Nacional de Radiodifusão, atual Antena 1. Um ano mais tarde surgem as emissões experimentais da Rádio Renascença (RR). Em 1976 a Emissora Nacional passou a denominar-se Rádio Difusão Portuguesa (RDP). Desde então muitas outras rádios foram criadas em Portugal. Nos anos 80 deu-se um boom das rádios locais algumas das quais (poucas) persistem nos dias atuais. Ultimamente a Rádio passou também a ocupar um lugar importante nas emissões pela internet. A rádio continua a ser o meio de comunicação social que atinge as maiores audiências, e tem vindo a adaptar-se às novas tecnologias e a novos equipamentos, com a transmissão online via streaming, por exemplo. A rádio acompanhou os principais acontecimentos históricos mundiais e hoje continua a ser um meio de comunicação essencial sobretudo para quem não pode acompanhar uma emissão com imagem ou ler um jornal.

Fonte:

https://www.calendarr.com/portugal/dia-mundial-da-radio/

https://ensina.rtp.pt/artigo/a-historia-da-radio/


 

quarta-feira, 10 de fevereiro de 2021

Estamos em casa... mas recomeçamos as atividades letivas e voltaram as leituras!

 Uma história para os mais novinhos do nosso Agrupamento: As Girafas não dançam. Esperamos que gostem!